O primeiro século da expansão ultramarina de Portugal (1415-1521)

Timeline created by jmdg
In History
  • Aug 21, 1415

    Conquista de Ceuta

    Conquista de Ceuta
    Um exército de cerca 20 000 cavaleiros e soldados portugueses (e também ingleses, galegos e biscainhos) saíram de Lisboa em 212 navios. Nesta expedição, comandada pelo rei D. João I, encontrava-se a mais importante aristocracia portuguesa do século XV, incluindo os príncipes D. Duarte, D. Pedro e D.Henrique, além do condestável Nuno Álvares Pereira. Para este facto a historiografia já considerou causas geoeconómicas, religiosas, sociais, económicas e políticas.
  • 1418

    Desembarco na ilha de Porto Santo (Madeira)

    Desembarco na ilha de Porto Santo (Madeira)
    João Gonçalves Zarco (c. 1390 — Funchal, 21 de Novembro de 1471) e Tristão Vaz Teixeira (c. 1395 — Silves, 1480) desembarcaram na ilha de Porto Santo e começaram o seu povoamento. Ambos navegadores muito possivelmente participaram na tomada de Ceuta em 1415. Zarco organizou, a pedido do rei, o povoamento e a administração da Ilha da Madeira, a partir de 1425 enquanto Tistão Vaz Teixeira recebeu a capitania do Machico.
  • May 25, 1420

    D. Henrique, governador da Ordem de Cristo

    D. Henrique, governador da Ordem de Cristo
    O infante D. Henrique (1394-1460) é nomeado pelo papa Martinho V administrador apostólico e governador da Ordem de Cristo. Os rendimentos desta ordem religioso-militar seriam investidos na expansão atlântica.
  • 1424

    Martinho V reconhece o direito português nas Canárias

    Martinho V reconhece o direito português nas Canárias
    O papa Martinho V reconhece a Portugal o direito ao domínio das ilhas não cristianizadas do arquipélago canário. O navegador Fernando de Castro tentou conquistar a Grã Canária.
  • Sep 26, 1433

    D. Duarte doa a Madeira a D. Henrique

    D. Duarte doa a Madeira a D. Henrique
    O rei D. Duarte doa ao seu irmão, o infante D. Henrique, o arquipélago da Madeira com o título de "Senhor das Ilhas". A Coroa podia cunhar moeda e ministrar justiça. O rei D. Duarte atribuiu à Ordem de Cristo “para todo o sempre o espiritual das Ilhas da Madeira, do Porto Santo e da Ilha Deserta”.
  • 1434

    Gil Eanes dobra o cabo Bojador

    Gil Eanes dobra o cabo Bojador
    O navegador Gil Eanes (nascido em Lagos) foi a primeira pessoa em navegar para além do Cabo Bojador, também chamado Cabo do Medo. Aparelhou uma barca de 30 toneladas, com um só mastro, e uma única vela redonda, movida a remos e parcialmente coberta. Após um dia inteiro de navegação longe da costa, deparou com uma baía plácida de ventos amenos e então dobrou para sudeste. Entre 1424 e 1433, o Infante D.Henrique tinha enviado 15 expedições sem atingir o objetivo.
  • 1435

    Afonso Gonçalves Baldaia cruza o Trópico de Câncer

    Afonso Gonçalves Baldaia cruza o Trópico de Câncer
    Afonso Gonçalves Baldaia, junto com Gil Eanes, aporta em Angra dos Ruivos (atual Marrocos / Saara Ocidental). É o primeiro europeu a ultrapassar o Trópico de Câncer desde que o fizeram os fenícios em 813 aC. AGB nasceu no Porto (c. 1415) e morreu na Praia da Vitória (Açores) em 1481. Foi chefe dos copeiros do infante D. Henrique.
  • 1441

    Nuno Tristão atinge Cabo Branco

    Nuno Tristão atinge Cabo Branco
    Nuno Tristão (? – costa de África, 1446?) foi cavaleiro da Casa do Infante. Navegou pela costa ocidental africana e foi o primeiro europeu que se sabe ter atingido o território da atual Guiné-Bissau. escravos. Em 1442, junto com Antão Gonçalves, chegou ao golfo de Arguim, na atual costa da Mauritânia, onde adquiriu 28 escravos, começando assim o comércio escravócrata em Portugal. Em 1444 atingiu a região dos rios Níger e Senegal e em 1446 o rio Gâmbia.
  • 1444

    Dinis Dias atingiu o Cabo Verde

    Dinis Dias atingiu o Cabo Verde
    O navegador Dinis Dias, possivelmente parente de Bartolomeu e Diogo Dias, atingiu o Cabo Verde, que é o ponto mais ocidental da África, sendo o primeiro europeu a fazê-lo. Escudeiro do Infante D. Henrique, em 1442 reconheceu o Cabo Branco, já identificado por Nuno Tristão, em 1441, e percorreu a zona do golfo de Arguim. O Cabo Verde hoje pertence ao Senegal e é uma península ocupada pela cidade de Dacar.
  • 1450

    Nuno Gonçalves, pintor da Corte

    Nuno Gonçalves, pintor da Corte
    Nuno Gonçalves (c. 1420- c. 1490) foi nomeado pintor régio de D. Afonso V. Os 'Painéis de São Vicente de Fora' são uma obra composta por 6 painéis, possivelmente em 1450. Constitui uma obra-prima da pintura europeia do século XV na qual, com um estilo poderosamente realista, se retratam figuras proeminentes da corte portuguesa e se atravessa toda a sociedade, da nobreza e clero até ao povo. Os painéis são ditos dos Frades, dos Pescadores, do Infante, do Arcebispo, dos Cavaleiros e da Relíquia.
  • 1452

    São descobertas as ilhas de Flores e do Corvo (Açores)

    São descobertas as ilhas de Flores e do Corvo (Açores)
    O navegador Diogo de Teive foi capitão de caravela e escudeiro do Casa do Infante D. Henrique. Estas ilhas, as mais ocidentais, dos Açores num primeiro momento foram consideradas um novo arquipélago e receberam o nome de Ilhas Floreiras.
  • Jan 8, 1455

    Bula 'Romanus Pontifex'

    Bula 'Romanus Pontifex'
    O papa Nicolau V (1397-1455) concedeu, aos reis de Portugal, por meio desta bula, a propriedade exclusiva das terras e mares conquistados ou por conquistar desde a costa da Guiné até à Índia. Esta bula foi confirmada pelo papa seguinte (Calisto III) em 1456 com a bula 'Inter cætera' e por Sixto IV em 1481 com a bula 'Æterni regis'.
  • 1456

    Exporta-se açúcar da Madeira

    Exporta-se açúcar da Madeira
    O açúcar da Madeira começa a ser exportado para a Europa: Flandres, França, Inglaterra, Turquia e Itália. O arquipélago da Madeira começa assim a ser rentável economicamente. O preço da arroba de açúcar branco da Madeira em junho de 1508 era de 320 réis e em junho de 1524 chegou aos 515 réis. Em setembro de 1524 a arroba atingiu os 650 réis.
  • Oct 24, 1458

    Conquista de Alcácer Ceguer

    Conquista de Alcácer Ceguer
    No século XV convertera-se num reduto de corsários. Foi assaltada e conquistada por uma frota de com 220 embarcações, levando um exército de 25 mil homens sob o comando do rei D. Afonso V. Na empresa participaram ainda o infante D. Henrique (no comando da Armada do Algarve), o infante D. Fernando, o marquês de Valença (no comando da Armada do Porto) e o marquês de Vila Viçosa; A conquista foi possível devido à superioridade da artilharia portuguesa.
  • Apr 24, 1459

    Planisfério de Fra Mauro

    Planisfério de Fra Mauro
    D. Afonso V encomenda um planisfério com todas as terras conhecidas a Fra Mauro ((Veneza, 1385? - Veneza, 20 de outubro de 1459), o mais importante geógrafo do seu tempo. Fra Mauro realizou este mapa com o seu assistente Andrea Bianco, navegador-cartógrafo. Neste mapa está a totalidade do velho mundo, com notável precisão, incluindo comentários que reflectiam o conhecimento geográfico da época. Além disso, o mapa é um dos primeiros a representar o longínquo Japão.
  • 1461

    É concluído o castelo de Arguim

    É concluído o castelo de Arguim
    Por volta de 1445 já tinha sido instalada na ilha de Arguim (hoje pertencente a Mauritânia e descoberta em 1441 por Nuno Tristão) uma feitoria para comerciar escravos, ouro e goma-arábica. Em 1461 o rei D. Afonso mandou construir um castelo para defender esta feitoria. Soeiro Mendes de Évora foi o primeiro alcaide-mor do castelo e o primeiro capitão-mor da ilha de Arguim. Trata-se do primeiro entreposto comercial português na costa africana.
  • 1462

    Povoamento de Cabo Verde

    Povoamento de Cabo Verde
    Começa o povoamento da ilha de Santiago, na parte sul, na Ribeira Grande. Foi empregado o sistema de capitania, com mão-de-obra escrava oriunda da vizinha costa da Guiné e cativos musulmanos do norte de África para a cultura de cana-de-açúcar, algodão e árvores frutíferas. Além destes, chegaram colonos do Alentejo e do Algarve,
  • 1472

    Rui de Sequeira alcança Nigéria

    Rui de Sequeira alcança Nigéria
    Navegando ao serviço de D. João II de Portugal, Rui de Sequeira alcançou a costa da actual Nigéria em 1472, baptizando a lagoa na região de Lagos (Nigéria) com o nome Lago de Curamo, e a cidade com o nome pela qual ainda hoje é chamada, Lagos, possivelmente em homenagem à cidade algarvia de Lagos.
  • 1472

    Fernão do Pó no golfo da Guiné

    Fernão do Pó no golfo da Guiné
    É o primeiro europeu, provavelmente em 1472, a chegar às ilhas do Golfo da Guiné, como a ilha de Bioko, que em tempos coloniais denominava-se Fernando Pó, parte da Guiné Equatorial. Chegou também à foz do rio Wouri a que chamou de Rio dos Camarões que depois deu o nome ao actual estado africano dos Camarões. Trabalhou no golfo da Guiné para o comerciante lisboeta Fernão Gomes da Mina.
  • 1478

    Publicação do 'Ha-ḥibbur ha-gadol' ou 'Almanach Perpetuum'

    Publicação do 'Ha-ḥibbur ha-gadol' ou 'Almanach Perpetuum'
    Esta obra foi escrita em hebreu por Abraão ben Samuel Zacuto (Salamanca, c. 1450 - Damasco, c. 1522) depois de 1473, sendo concluída em 1478. Foi traduzida para espanhol por Juan de Salaya em 1481 e publicada em latim por Joseph Vizinho em 1496 na tipografia de Abraão de Ortas (Leiria) com o título 'Tabularum celestium motuum astronomi zacuti', embora seja mais conhecida como 'Almanach perpetuum'.
  • Sep 4, 1479

    Tratado das Alcáçovas

    Tratado das Alcáçovas
    O tratado, assinado em Alcáçovas, em 4/9/1479 foi ratificado pelo rei de Portugal em 8/9/1479 e pelos Reis Católicos em 6/3/1480 na cidade de Toledo. 1. Afonso V renuncia ao trono de Castela e os Reis Católicos renunciam ao trono português. 2. Os territórios do Atlântico são repartidos: Portugal mantém o controle sobre a Guiné, Costa da Mina, Madeira, Açores, Ilha das Flores e Cabo Verde e Castela sobre as Canárias. 3. Reconhece-se a exclusividade de Portugal sobre a conquista do Reino de Fez.
  • 1482

    Castelo de São Jorge da Mina

    Castelo de São Jorge da Mina
    600 portugueses, sob o comando de Diogo de Azambuja,edificam em poucos meses o castelo de São Jorge da Mina (atual Gana) e cedo desenvolve-se um núcleo urbano geminado, denominado "Duas Partes", uma parte habitada por europeus, outra por africanos. Recebe Casta Foral em 1486 e ali são trocados trigo, tecidos, cavalos e conchas por ouro (até 400 kg/ano) e escravos. É considerada a mais antiga fortificação europeia ao Sul do deserto do Sara.
  • 1482

    Diogo Cão chega ao rio Congo (ou Zaire)

    Diogo Cão chega ao rio Congo (ou Zaire)
    Realizou duas viagens de descobrimento da costa sudoeste africana, entre 1482 e 1486. Chegou à foz do Congo e avançou pelo interior do rio, tendo deixado uma inscrição comprovando a sua chegada às cataratas de Ielala, perto de Matadi (hoje Rep. Dem. Congo) e estabeleceu as primeiras relações com o Reino do Congo. Em 1485 chegou ao Cabo da Cruz (hoje Namíbia) e introduziu a utilização dos padrões de pedra, em lugar das cruzes de madeira, para assinalar a presença portuguesa nas zonas descobertas.
  • 1486

    Azamor, tributária de Portugal

    Azamor, tributária de Portugal
    Devido à instabilidade política regional, os habitantes de Azamor pediram a proteção do rei D. João II (1481-1495), de quem se tornaram vassalos e tributários. O tributo anual era de dez mil sáveis, peixe abundante naquele rio, permitindo o estabelecimento de uma feitoria. Como primeiro feitor foi escolhido o escudeiro Martim Reinel, que já lá se encontrava em função da negociação do acordo, cujas funções exerceu até 1501. A Praça-forte de Azamor foi abandonada em 1541,
  • 1487

    Gonçalo Eanes e Pêro de Évora chegam a Tombuctu

    Gonçalo Eanes e Pêro de Évora chegam a Tombuctu
    Gonçalo Eanes e Pêro de Évora sobem o rio Senegal numa expedição ao interior africano até Tucurol e Tombuctu (atual Mali).
  • May 7, 1487

    Viagem de Pero da Covilhã e Afonso de Paiva a Oriente

    Viagem de Pero da Covilhã e Afonso de Paiva a Oriente
    Os dois exploradores saem de Santarém em julho de 1487 e a pé e de barco chegam a Adem no ano de 1488, aí se separam com reencontro combinado no Cairo, junto à porta da cidadela, durante o anoitecer de um dos primeiros noventa dias de 1491. Afonso de Paiva ruma à Etiópia em busca do Preste João e Pero da Covilhã vai para a Índia. Pero viaja a Calecute, Goa, Ormuz, Melinde, Quiloa, Moçambique e Sofala. Afonso de Paiva é atacado de febres e morre algures na sua viagem a Etiópia.
  • 1488

    Bartolomeu Dias ultrapassa o cabo das Agulhas

    Bartolomeu Dias ultrapassa o cabo das Agulhas
    B. Dias (ca. 1450 — 29 de maio de 1500) foi o primeiro a navegar para além do extremo sul da África, contornando os cabos da Boa Esperança (que ele chamou das Tormentas) e das Agulhas chegando ao oceano Índico a partir do Atlântico, abrindo o caminho marítimo para a Índia. João de Barros: "Partidos dali, houveram vista daquele grande e notável cabo, ao qual por causa dos perigos e tormentas em o dobrar lhe puseram o nome de Tormentoso, mas el-rei D. João II lhe chamou cabo da Boa Esperança".
  • 1489

    João I do Congo é recebido em Portugal

    João I do Congo é recebido em Portugal
    Nziga a Nkuwu (o Nkuwu Nzinga) foi baptizado como João por missionários portugueses a 3 de maio de 1491 e foi o sétimo rei (manicongo) do Congo, de 1470 a 1509.
    Foi recebido em Lisboa e Beja pelo rei D. João II. O seu fiilho, Afonso I, foi o primeiro rei africano reconhecido na Europa.
  • Jul 6, 1491

    Construção da primeira igreja católica na África subsariana

    Construção da primeira igreja católica na África subsariana
    A Catedral de São Salvador do Congo, também chamada de Kulumbimbi, situada em M'Banza Kongo (Angola) é a primeira igreja construída na África subsariana.
    A 19 de dezembro de 1490, três navios, sob o comando de Gonçalves de Sousa, chegaram ao Reino do Congo (hoje parte de Angola). Nestes navios embarcaram missionários jesuítas, soldados, pedreiros e carpinteiros com o objetivo de evangelizar; assim sendo, o Rei do Congo foi batizado com o nome de D. Afonso I.
  • 1492

    Globo de Martinho de Boémia

    Globo de Martinho de Boémia
    O Globo ou "Erdapfel", construído pelo cosmógrafo alemão Martinho de Boémia (ou Martin Behaim) em 1492, é considerado a mais antiga representação da Terra na forma de um globo. Trata-se de uma esfera composta de duas semiesferas feitas em linho laminado com reforço em madeira tendo um mapa-múndi da época desenhado pelo pintor e carpinteiro Georg Glockendon. Martinho de Boémia nasceu em Nuremberga (6 de outubro de 1459) e morreu em Lisboa (29 de julho de 1507).
  • May 3, 1493

    Bula 'Inter caetera'

    Bula 'Inter caetera'
    A bula do Papa Alexandre VI, divide o "novo mundo" seria dividido entre Portugal e Espanha, através de um meridiano situado a 100 léguas a oeste do arquipélago do Cabo Verde e confirma à concessão à Ordem de Cristo de poderes espirituais sobre os territórios "adquiridos e a adquirir". Os termos da bula não gostaram à Coroa Portuguesa e por esse motivo foi negociado o Tratado de Tordesilhas (1494), que estabeleceu um novo meridiano a 370 léguas das ilhas de Cabo Verde.
  • Jul 29, 1493

    Álvaro de Caminha, donatário de São Tomé

    Álvaro de Caminha, donatário de São Tomé
    Álvaro de Caminha (Faro (?), ? — São Tomé, 28 de abril de 1499), é nomeado donatário da Ilha de São Tomé por D. João II. Introduziu a plantação da cana-de-açúcar na ilha, com resultados bastante positivos, para o qual empregou escravos africanos. Exerceu o cargo de recebedor da Alfândega de Lisboa e de capitão-mor (governador) da ilha de São Tomé.
  • Sep 5, 1494

    Tratado de Tordesilhas

    Tratado de Tordesilhas
    O Tratado, assinado em 7 de junho de 1494, foi celebrado entre Portugal e Castela para dividir as terras "descobertas e por descobrir" fora da Europa ("mare clausum"). Definia como linha de demarcação o meridiano 370 léguas a oeste da ilha de Santo Antão no arquipélago de Cabo Verde. Os territórios a leste deste meridiano pertenceriam a Portugal e os territórios a oeste, a Castela. O tratado foi ratificado por Castela a 2 de julho e por Portugal a 5 de setembro de 1494.
  • Dec 5, 1496

    Expulsão dos judeus e dos musulmanos

    Expulsão dos judeus e dos musulmanos
    D. Manuel assinou o decreto de expulsão dos hereges, concedendo-lhes prazo até 31 de Outubro de 1497 para que deixassem o país. Aos judeus, o rei permitiu que optassem pela conversão ou desterro, esperando assim que muitos se batizassem, ainda que apenas pro forma. Os judeus, no entanto, não se deixaram convencer e a maioria optou por abandonar o país. O rei, ao ver cair por terra a sua estratégia, mandou fechar todos os portos de Portugal - menos o porto de Lisboa - para impedir a fuga.
  • 1498

    João Fernandes Lavrador chega as costas da América do Norte

    João Fernandes Lavrador chega as costas da América do Norte
    João Fernandes Lavrador (1453 - 1501) e Pero de Barcelos, foram os primeiros a avistar a Costa de Lavrador na América do Norte, possivelmente em 1498 (as datas variam entre 1492 e 1500). Chegaram as costas do sudoeste da Gronelândia e às atuais Terra Nova e Labrador no Canadá.
  • 1498

    Possível chegada de Duarte Pacheco Pereira ao Amazonas

    Possível chegada de Duarte Pacheco Pereira ao Amazonas
    Duarte Pacheco Pereira (Lisboa, 1460 - 1533) , fidalgo da Casa Real, possivelmente chegou ao Amazonas e a ilha do Marajó (atuais estados de Amapá e Pará), numa expedição secreta que chegou às costas do Brasil (atuais estados do Maranhão e do Pará). esta expedição foi encomendada pelo rei D. Manuel. Com certeza, nesse ano viajou pelo Atlântico Sul.
    Escreveu em 1506 o manuscrito 'Esmeraldo de Situ Orbis', tão valioso que, em 1573, o espião italiano Giovanni Gesio enviou uma cópia a Filipe II.
  • May 17, 1498

    Descoberto o caminho marítimo para a Índia

    Descoberto o caminho marítimo para a Índia
    Vasco da Gama (Sines, 1469 - Cochim, 1524) realizou a descoberta do caminho marítimo para a Índia numa viagem que realizou com quatro naus e que durou dez meses e meio. Partiu de Lisboa em 8 de julho de 1497 e seguiu para Cabo Verde, Santa Helena, Natal, Agoada da Boa Paz, Quelimane, costa de Moçambique, Mombaça, Melinde e Calecute. Só chega a Lisboa em 29 de agosto de 1499. Dos 148 homens que integravam a armada, unicamente 55 regressaram a Portugal.
  • 1499

    Fundação da feitoria de Antuérpia

    Fundação da feitoria de Antuérpia
    As relações comerciais entre Portugal e Flandres começaram no século XIII. Em 1445 foi construída a casa da Feitoria de Bruges; que, devido aos problemas políticos na Flandres, passou para Antuérpia. Em 1510, Portugal foi agraciada com o estatuto de nação mais favorecida, privilégios renovados em 1539, 1542, 1545, e 1554. A feitoria desempenhou um importante papel como entreposto comercial, onde se vendiam produtos oriundos do império português em troca de metais, artilharia e tecidos da Europa.
  • Apr 22, 1500

    Pedro Álvares Cabral chega ao Brasil

    Pedro Álvares Cabral chega ao Brasil
    Pedro Álvares Cabral (Belmonte, 1467 ou 1468 – Santarém, c. 1520) chefiou uma expedição composta por dez naus, três caravelas e uma naveta de mantimentos. O encontro entre portugueses e indígenas na atual Porto Seguro (estado da Bahia) está magnificamente documentado na Carta escrita pelo escrivão Pero Vaz de Caminha.
  • Aug 10, 1500

    Diogo Dias descobre a ilha de São Lourenço

    Diogo Dias descobre a ilha de São Lourenço
    A 10 de Agosto de 1500, após ter dobrado o cabo da Boa Esperança, separou-se do resto da expedição devido aos ventos, e descobriu uma ilha a que deu o nome de São Lourenço, mais tarde designada Madagáscar. Mais tarde, a sua embarcação perdeu-se e acabou sendo o primeiro português a viajar pelo mar Vermelho. Diogo Dias foi um experiente navegador português, irmão de Bartolomeu Dias, e que Pero Vaz de Caminha descreveu como «homem gracioso e de prazer», que fora almoxarife de Sacavém.
  • 1502

    Milho em Portugal

    Milho em Portugal
    O milho (Zea mays) trazido da América é semeado por vez primeira em Portugal. Este cereal transformará, ao longo do tempo, os hábitos alimentares dos portugueses e a própria paisagem do País. Sem dúvida nenhuma, tem sido durante séculos um produto com uma importância económica fundamental.
  • 1502

    Planisfério de Cantino

    Planisfério de Cantino
    O planisfério de Cantino é uma cópia de uma carta de grandes dimensões, baseada no chamado padrão real, que pendia na sala das cartas na Casa da Guiné e da Mina, em Lisboa, órgão que administrava a exploração e a colonização dos novos territórios. Existe a hipótese de que Alberto Cantino haja subornado um cartógrafo português ou um ilustrador italiano para que lhe tenha feito uma cópia, sendo esta enviada a Hércules I d'Este, duque de Ferrara.
  • Mar 25, 1505

    D. Francisco de Almeida, vice-rei da Índia

    D. Francisco de Almeida, vice-rei da Índia
    D. Francisco de Almeida (Lisboa, c. 1450 — Baía de Saldanha (atual África do Sul), 1 de março de 1510) foi o primeiro vice-rei da Índia (1505-1509). Procedeu à construção de fortalezas em Angediva, Cananor e Cochim para controlar os pontos estratégicos do oceano Índico (entrada do mar Vermelho e dominar Ceilão e Malaca).
    Casou com dona Joana Pereira.
    No seu túmulo, em Abrantes, está escrito: «Aqui jaz D. Francisco de Almeida, primeiro Vice-rei da Índia, que nunca mentiu nem fugiu.
  • 1506

    Adoração dos Reis Magos

    Adoração dos Reis Magos
    A 'Adoração dos Reis Magos' é uma pintura a óleo sobre madeira (c. 1501-1506) do pintor português Vasco Fernandes (Viseu?, c. 1475-1542) e do pintor flamengo Francisco Henriques (act. 1508-1518). Esta obra corresponde a um dos painéis do antigo retábulo da capela-mor da Sé de Viseu. É a primeira representação de um indígena brasileiro na arte ocidental na figura do rei negro Baltazar. Este rei tem toucado de penas, colares de contas, brincos de coral branco e uma flecha tupinambá.
  • Nov 4, 1509

    D. Afonso de Albuquerque, vice-rei da Índia

    D. Afonso de Albuquerque, vice-rei da Índia
    D. Afonso de Albuquerque (Alhandra, 1453? - Goa, 1515) substitui D. Francisco de Almeida no cargo de vice-rei da Índia. Como governador distinguiu-se na conquista de Ormuz e Goa. Dominou Malaca e construiu uma fortaleza em Ormuz. Foi o primeiro português a receber um título de além-mar, duque de Goa, e o primeiro duque nascido fora da família real. Foi o segundo europeu a fundar uma cidade na Ásia, sendo o primeiro, Alexandre o Grande.
  • 1511

    Conquista de Malaca

    Conquista de Malaca
    Em abril de 1511, Afonso de Albuquerque zarpou de Goa para Malaca com uma força de cerca de 1200 homens e 17 ou 18 navios. Malaca tornou-se uma base estratégica para a expansão portuguesa nas Índias Orientais. Os portugueses ergueram um forte (cuja porta, chamada "A Famosa", ainda existe). A "Fermosa" ou "Famosa" foi erguida por Tomás Fernandes e constituía-se primitivamente em uma torre assobradada de quatro pavimentos, servindo de residência ao capitão da praça.
  • 1512

    António de Abreu chega às ilhas de Timor e da Banda

    António de Abreu chega às ilhas de Timor e da Banda
    António de Abreu (Madeira, c. 1480 – Açores, c. 1514) foi o primeiro europeu em chegar a Timor e às ilhas da Banda (atual Indonésia). A frota, com cerca de 120 portugueses e 60 escravos, foi guiada por pilotos malaios e para navegarem entre a ilha de Java, as ilhas menores da Sonda e às ilhas da Banda. Tencionavam chegar até as ilhas das especiarias (Ilhas Molucas). Morreu na viagem de regresso, nos Açores.
  • 1514

    Embaixada ao papa Leão X

    Embaixada ao papa Leão X
    O rei D. Manuel envia uma grandiosa embaixada ao papa Leão X, chefiada por Tristão da Cunha. Aos magníficos presentes em pedrarias, tecidos e joias juntava-se o exotismo de um cavalo persa, uma onça de caça e um elefante branco, chamado Hano. Infelizmente, não chegou a Roma o rinoceronte indiano de nome Ganda, já que morreu afogado nas costas de Ligúria antes de chegara Roma. Este rinoceronte foi o primeiro exemplar visto na Europa desde os tempos romanos e que está em pedra na Torre de Belém.
  • Apr 1, 1515

    Ormuz, portuguesa

    Ormuz, portuguesa
    Ormuz submete-se ao governador da Índia, Afonso de Albuquerque. Durante mais de um século foi um dos principais locais da administração portuguesa do Oriente.
    "A cidade em sy é muy magnifica em edificios, grossa em tracto por ser hua escala onde concorrem todalas mercadorias orientaes e occidentaes a ella, e as que vem da Persea, Armenia e Tartaria que lhe jazem ao norte: de maneira que nam tendo a ilha em sy cousa propria, per carreto tem todalas estimadas do mundo" (João de Barros).
  • 1516

    Tomé Pires na China

    Tomé Pires na China
    Tomé Pires (Lisboa, ca. 1465 — ca. 1540), foi enviado em 1516 como o primeiro embaixador português na China, sendo o primeiro chefe de uma missão diplomática oficial de uma nação europeia neste país asiático, embora não tivesse sucesso. Foi um destacado boticário português que viveu no Oriente durante o século XVI, autor da 'Suma Oriental', que é a primeira descrição europeia da Malásia e a mais antiga e extensa descrição portuguesa do Oriente.
  • 1518

    Fortaleza de Colombo (Ceilão)

    Fortaleza de Colombo (Ceilão)
    Exploradores portugueses, liderados por D. Lourenço de Almeida, chegaram pela primeira vez no Sri Lanka em 1505. Durante a sua primeira visita, eles fizeram um tratado com o rei de Cota, Parakramabahu VIII, que lhes permitiu negociar a safra de canela, que ficava ao longo das áreas costeiras da ilha, inclusive nas ilhas de Colombo. Como parte do tratado, foi dada aos portugueses plena autoridade sobre a costa, em troca da promessa de proteger a costa contra os invasores.
  • May 3, 1518

    D. Henrique, Príncipe do Congo e bispo católico

    D. Henrique, Príncipe do Congo e bispo católico
    A pedido do rei D. Manuel de Portugal, o papa Leão X sagra bispo o príncipe Henrique do Congo. É-lhe concedida a sede honorífica de Útica e a auxiliar do Funchal para administrar a igreja do Congo. Será, assim, o primeiro bispo negro africano dos tempos modernos.
  • 1520

    Ordenações da Índia

    Ordenações da Índia
    "Fazemos saber a quantos este nosso regimento, e ordenações vi rem, que consirando nós como ho comercio, e trauto das Indias
    foi tão caro, e tão custoso de auer, e com tanto risco, e periguo de gente, e por tanto descurso de tempo, no qual algumas pessoas se antremetem", de modo que ligeira mente se poderia em muyta par te danificar, auendo hi tanta raz㺠pera ser muy conseruado , assi pé o muito seruiço de Deos, no acrecentamento da nossa Santa Fee Ca tolica que se delle seguio, e segue," [...]
  • 1520

    Convento de São Francisco em Velha Goa

    Convento de São Francisco em Velha Goa
    Começa a construção do Convento de São Francisco de Assis, fundado em 1518 por Frei Antrónio Louro. A obra foi concluída em 1521 mas será reedificada em 1661. Da sua primitiva construção apenas restou o portal, de estilo manuelino. Este portal, em pedra escura, apresenta um perfil trilobado tipicamente manuelino e um remate ladeado por esferas armilares.
  • Period:
    Apr 6, 1385
    to
    Aug 14, 1433

    Reinado de D. João

    Primeiro monarca da casa de Avis. Nasceu em Lisboa em 11 de abril de 1357 e morreu na mesma cidade em 14 de agosto de 1433. As Cortes portuguesas reunidas em Coimbra elevaram o Grão-Mestre de Avis como rei de Portugal em 6 de abril de 1385. Casou com D. Filipa de Lencastre e reforçou assim os acordos do Tratado de Aliança Luso-Britânica em 1373.
  • Period:
    Aug 14, 1433
    to
    Sep 9, 1438

    Reinado de D. Duarte

    D. Duarte nasceu em Viseu (31/10/1391) e morreu em Tomar (9/9/1438). Casou com a infanta D. Leonor de Aragão (1402-1455) e tiveram nove filhos. Escreveu dois livros de teor filosófico, dirigidos à nobreza, o 'Leal Conselheiro' e o 'Livro da Ensinança de Bem Cavalgar Toda Sela'.
  • Period:
    Sep 13, 1438
    to
    Aug 28, 1481

    Reinado de D. Afonso V

    Nasceu a 15 de janeiro de 1432, em Sintra e morreu em Lisboa no dia 28 de agosto de 1481. Casou com D. Isabel de Coimbra (1432-1455) e com D. Joana de Trastâmara (1462-1530) em Plasencia em 25 de maio de 1475. Entre 1475 e 1479 usou o seguinte título "Pela Graça de Deus, Afonso V, Rei de Castela, de Leão, de Portugal, de Toledo, de Galiza, de Sevilha, de Córdova, de Jáen, de Múrcia, dos Algarves d'Aquém e d'Além Mar em África, de Gibraltar, de Algeciras, e Senhor da Biscaia e de Molina".
  • Period:
    Aug 28, 1481
    to
    Oct 25, 1495

    Reinado de D. João II

    O 'Príncipe Perfeito' nasceu em Lisboa em 3 de março de 1455 e morreu em Alvor em 25 de outubro de 1495. Casou com D. Leonor de Viseu (1458-1525) em 22 de janeiro de 1470. Retiro o poder à aristocracia (nomeadamente, à casa de Bragança: apunhalou pelas suas próprias mãos o seu primo Diogo, Duque de Viseu. ) e concentrou-o em si próprio. Foi um grande defensor da política de exploração atlântica e cedo centralizou na coroa a exploração e comércio na costa da Mina e Golfo da Guiné.
  • Period:
    Oct 25, 1495
    to
    Dec 13, 1521

    Reinado de D. Manuel

    Nasceu em Alcochete (31 de maio de 1469) e morreu em Lisboa a 13 de dezembro de 1521. Casou com D. Isabel de Aragão e Castela (1470–1498), D. Maria de Aragão e Castela (1482-1517) e D. Leonor de Áustria, rainha de Portugal e de França (1498-1558). Prosseguiu as explorações iniciadas pelos seus antecessores, o que levou à descoberta do caminho marítimo para a Índia, do Brasil e das ambicionadas "ilhas das especiarias", as Molucas. Em 1521 promulgou as 'Ordenações Manuelinas'.