Regime de Não Proliferação Nuclear

Timeline created by AnaLCF
In History
  • Era Nuclear

    Início da era nuclear. Primeiro teste no deserto do Novo México com a bomba Trinity, de plutônio. A tentativa fez parte do Projeto Manhattan, americano, com o objetivo de desenvolver uma bomba por fissão de um átomo.
  • Bombardeios

    No dia 6 de agosto, o bombardeiro americano Enola Gay lança bomba de urânio sobre Hiroshima, no Japão. Três dias depois, uma bomba de plutônio é lançada em Nagasaki.
  • Plano Baruch

    Primeira iniciativa de controle sobre atividades nucleares. O plano estadunidense propunha a criação de uma organização que averiguasse e exercesse algum controle sobre o desenvolvimento de tecnologia nuclear pelo globo, e já previa que o monopólio nuclear estadunidense não duraria por muito tempo.
  • "Atoms for Peace"

    Discurso de D. Eisenhower, proferido na ONU, que buscava conter a proliferação de armas nucleares para outros países além dos EUA, URSS e Inglaterra, que já as possuíam. Defendia que os países que desejassem desenvolver energia nuclear poderiam fazê-lo de forma pacífica e propunha a criação de uma agencia internacional para estocar o material físsil que poderia ser utilizado em artefatos nucleares
  • AIEA

    Aprovado o estatuto da Agência Internacional de Energia Atômica, fruto do discurso do presidente estadunidense. Objetivava monitorar o uso da energia nuclear pelo globo para seu uso pacífico, e prevenir que outros países desenvolvessem armas nucleares
  • Interdição Parcial de Ensaios Nucleares

    Assinado em 1963 por Estados Unidos, Reino Unido, Rússia e países sem arsenais. Segundo o acordo, as potências nucleares prometem parar os testes na atmosfera, submersos e no espaço. Testes subterrâneos são permitidos.
  • Tratado de Tlatelolco

    Proíbe armas nucleares na América Latina e no Caribe (Zona Livre de Armas Nucleares)
  • TNP

    Tratado sobre a não-proliferação de armas nucleares proíbe os cinco detentores oficiais da arma nuclear (Estados Unidos, União Soviética, Reino Unido, China e França) de repassar material a outros países. Os demais países, por sua vez, se comprometem a não produzir bombas.
  • Negociação: Interdição Completa de Ensaios Nucleares

    Tratado proíbe testes de armas nucleares e armas de destruição massiva no fundo dos mares, oceanos e subsolo.
  • Interdição Completa de Ensaios Nucleares

    Tratado de proibição de testes nucleares - Assinado por 155 países, mas Índia, Paquistão e Coréia do Norte não assinaram.
  • Start I

    A primeira versão, assinada em 31 de julho de 1991, prevê a redução do número de ogivas nucleares americanas de 9.986 a 8.556 e o de ogivas soviéticas de 10.237 a 6.449, até dezembro de 2001.
  • Start II

    Em 1993 EUA e Rússia já haviam assinado o Start 2 , para uma nova redução de dois terços dos arsenais. O Senado americano ratificou o documento em janeiro de 1996 e o Parlamento russo fez o mesmo em abril de 2000. O acordo, porém, nunca entrou em vigor porque em 2002, quando os Estados Unidos se retiraram do Tratado Antimísseis Balísticos, a Rússia decidiu abandonar o Start 2.
  • Assistência da ONU

    Conselho de Segurança da ONU garante assistência às nações não-nucleares que tenham assinado o TNP, caso eles sejam objeto de ameaça ou ataque nuclear.
  • Tratado Compreensivo de Banimento de Testes (CTBT)

    Proíbe todo tipo de teste nuclear. Adotado pela Assembleia Geral da ONU em setembro de 1996, não entrou em vigor porque não foi assinado pelos 44 países que têm arsenais ou reatores nucleares. EUA, Reino Unido, França, Rússia e China assinaram o acordo, mas EUA e China não o ratificaram.
  • Expulsão da AIEA pela Coreia do Norte

    Coréia do Norte anuncia a reativação de seu programa nuclear e expulsa os 31 inspetores internacionais do complexo nuclear de Yongbyon.
  • Retirada da Coreia do Norte do TNP

    Coreia do Norte anuncia sua retirada do Tratado
  • AIEA vs. Irã

    Relatório da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) afirma que o Irã sonega informações sobre suas atividades nucleares; Conselho da AIEA exige que o Irã prove que não está desenvolvendo uma bomba nuclear sob a cobertura de um programa civil de energia nuclear; Irã anuncia a suspensão de suas operações de enriquecimento de urânio.
  • Protocolo Adicional ao TNP

    Irã assina o "protocolo adicional" ao TNP. Líbia anuncia também que renuncia ao desenvolvimento de armas de destruição massiva.
  • Bomba - Coreia do Norte

    Coréia do Norte anuncia que possui bomba nuclear.
  • Renovação do Start I

    O primeiro documento expirou em 2009 e, em abril de 2010, EUA e Rússia assinaram um novo acordo , segundo o qual cada um dos países terá direito a manter apenas 1.550 ogivas ativas. Além disso, EUA e Rússia só poderão ter 800 vetores estratégicos, como são chamados os equipamentos que permitem lançamentos em longa distância, como mísseis intercontinentais, submarinos e bombardeiros estratégicos.
  • Plano de Ação Conjunta Global

    Aprovado pela ONU o Plano de Ação Conjunta Global: Irã e seis países – China, França, Alemanha, Rússia, Reino Unido e Estados Unidos – chegam a um acordo, confiando à AIEA a verificação e acompanhamento dos compromissos do Irã de, sob nenhuma circunstância, desenvolver ou adquirir armas nucleares. A União Europeia também se envolveu nas negociações.