TIMELINE DA HISTÓRIA DO DESIGN

Timeline created by Gabriel Guedes
In History
  • O advento da Revolução Industrial e os primórdios do design

    O advento da Revolução Industrial e os primórdios do design
    O advento da Revolução Industrial em 1760 caracteriza-se pela utilização de novas formas de energia, invenção de máquinas que melhoram a produção além da divisão do trabalho, desenvolvimento do transporte e da comunicação. Nesse contexto histórico surgiram: Objetos do cotidiano produzidos industrialmente, novas tarefas na área da construção, imitação e decoração e afins...
  • Crítica à indústria: do Arts and Crafts até o Art Nouveau/Judgendstil

    Crítica à indústria: do Arts and Crafts até o Art Nouveau/Judgendstil
    Esses movimentos estéticos e sociais surgiram na segunda metade do século XIX, defendendo o artesanato criativo como alternativa à mecanização e à produção em massa. Na vasta produção escrita de Ruskin, observa-se uma tentativa de combinar esteticismo e reforma social, relacionando arte à vida diária do povo. Irônica, pois a sociedade capitalista apoderou-se desta forma de arte. Ela operava com jogos de cores, materiais, e produtos intensos, reproduzindo objetos do cotidiano.
  • Pré-modernismo em Chicago, Glasgow, Viena

    Pré-modernismo em Chicago, Glasgow, Viena
    Na escola de Arte de Glasgow, criada por arquitetos e artistas na cidade portuária escocesa de Glasgow nos anos 1890, surgiram novas formas, objetivas, durante a fase mais brilhante do Art Nouveau. Ornamentos (curvas florais) e símbolos eram usados com parcimônia e as cores preferidas eram o branco e o preto.
    Como todos os outros movimentos do Jugendstil, o grupo de artistas vienenses chamado Secession também se insurgia contra as academias de artes tradicionais e contra O historicismo.
  • A Werkbund alemã e o início do Estilo Internacional

    A Werkbund alemã e o início do Estilo Internacional
    Idealizado por Hermann Muthesius, o Deutscher Werkbundf nasceu em Berlim, na Alemanha, e propunha que os artistas trabalhassem em conjunto com as indústrias no desenvolvimento de seus produtos, o projeto incluía distinguir seus produtos por meio da estética. O design gráfico do período pós-Guerra foi caracterizado por uma crescente homogeneidade. O Modernismo no Estilo Internacional, em que se buscou impor os preceitos estéticos das antigas vanguardas de maneira normativa e monolítica.
  • Arte de vanguarda e o design gráfico

    Arte de vanguarda e o design gráfico
    A estética artística da vanguarda construtivista russa, identificando a caracterização persuasiva do material gráfico e observando a proximidade do trabalho artístico social da época com a função dos trabalhos de design gráfico. O cartaz construtivista atuou não apenas como obra artística, mas também como objeto comunicacional, servindo como um ativador de massas e unindo princípios artísticos a conceitos de design.
  • O Estilo Internacional: construtivismo, De Stijl, Bauhaus

    O Estilo Internacional: construtivismo, De Stijl, Bauhaus
    Na busca por um suposto funcionalismo, o Modernismo acabou por ossificar de vez a proposta do moderno como a descoberta constante do novo. Com as inovações tecnológicas na área de eletrônica e informática, os designers passaram a lidar com desafios que iam da cibernética à biônica, e foi na Escola de Ulm, Alemanha, que as relações entre o design e essas áreas foram pensadas pela primeira vez. O design gráfico desempenhou um papel em movimentos como o Construtivismo russo e o De Stijl holandês.
  • A produção do Design durante o período da 2ª Guerra mundial

    A produção do Design durante o período da 2ª Guerra mundial
    No design aplicou-se a máxima clareza, layouts estruturados, nitidez, minimalismo, fotografias objetivas, funcionalidade, levando-se em consideração as necessidades do homem e a compreensão da mensagem. O Estilo Internacional foi propagado mundialmente. A Segunda Guerra Mundial também foi responsável por revelar alguns expoentes do design de cartazes devido à grande necessidade de estimular a produção e desenvolvimento dos países, influenciando a opinião das pessoas através da propaganda.
  • Escola superior de design de Ulm e o Estilo Suíço

    Escola superior de design de Ulm e o Estilo Suíço
    O centro de Ulm inspira-se na experiência da Bauhaus.
    A Escola de Ulm é responsável pela experiência mais significativa do movimento do design no período posterior à Segunda Guerra Mundial, buscava um novo projeto democraticamente inspirado onde conceitos como educação, política, pedagogia e design fossem únicos no mundo.
  • O Art Deco e o Styling: Design nos EUA e os anos 1950 na Europa

    O Art Deco e o Styling: Design nos EUA e os anos 1950 na Europa
    Primeira Guerra: divisor entre Art Nouveau e Art Deco.
    Estilo decorativo inspirado pela Arte Não-ocidental (África/egito).
    Influência do cubismo, futurismo, construtivismo.
    Não entendido como "design“ possui enfoque estilístico.
    O pico da popularidade na Europa foi durante os "Felizes anos vinte" e continuou fortemente nos Estados Unidos, após os "Loucos Anos Vinte" através da década de 1930.
  • O Design na Periferia e o design vernacular

    O Design na Periferia e o design vernacular
    É uma denominação atribuída aos artefatos populares criados por um indivíduo para atender as necessidades básicas e concretas na luta pela sobrevivência num processo de hibridização cultural, como forma de pertencimento e vínculo social. Design na Periferia reflete a espontaneidade e a capacidade de improvisação de várias regiões menos favorecidas do país. O resultado do trabalho é a prova de que o design e a beleza não necessariamente surgem da erudição, mas da capacidade de invenção.
  • A crise do funcionalismo e o design pós-moderno: Grupos Alchimia e Menphis

    A crise do funcionalismo e o design pós-moderno: Grupos Alchimia e Menphis
    O boom econômico pós guerra estava chegando ao seu fim como o boom do Funcionalismo na escola de Ulm e o movimento Die Gute Form. Na década de 1970 o New Design propunha usar métodos artísticos, não mais dirigidos por projetos racionais, desfazendo os limites entre arte e design.

    Studio Alchimia foi fundado em 1977 em Milão, seu nome proclama a intenção de transformar o lixo em ouro. O Grupo Memphis caracterizado pela linha arrojada de formas angulares e cores contrastantes.
  • Os anos 1980, o Novo Design e a nova simplicidade

    Os anos 1980, o Novo Design e a nova simplicidade
    Trata-se de uma simplicidade muito menos rígida e dogmática de padrões, com uma estética que pode ter como características o simples, e até minimalista, mas o que no fundo tem um quê diferente: é uma tendência que ainda revive épocas e uso de elementos vernaculares aliado com o ruído e o acabamento mal feito. Ao mesmo tempo em que tenta abstrair os excessos do design pós-moderno também apresenta um hibridismo de linguagem característico da sociedade pós-moderna.
  • Revolução digital e os desafios do Design num mundo pós-moderno

    Revolução digital e os desafios do Design num mundo pós-moderno
    O uso de ferramentas gráficas virtuais se popularizou a ponto de permite que qualquer pessoa pudesse trabalhar em sua própria casa. Sendo assim o designer se tornou responsável por diversas aéreas de conhecimento que surgiram no decorrer dos anos 90 e 2000.
    Uma soma de estilos diferentes e aparições de novos estilos ainda moldam as características gráficas deste período.
  • Design contemporâneo

    Design contemporâneo
    O Design pós-moderno (ou contemporâneo) se caracteriza por ser bem humorado, irônico, pela grande oferta de produtos que atendem a diversas demandas, usos, gostos e culturas, pela versatilidade e pelo uso de dispositivos tecnológicos.